A importância da terapia ocupacional no autismo

Pode-se dizer que, de todas as inúmeras tarefas que um terapeuta ocupacional desempenha, os seus pilares giram especialmente em torno do ganho de autonomiada melhora da qualidade de vida e do bem-estar da criança.

O primeiro passo é integrar o autista com o ambiente ao seu redor. Para isso, trabalha-se a comunicação e a interação. Distintas técnicas são empregadas para que a criança consiga se expressar por meio de inúmeros modos não-verbais.

Um outro ponto é a integração sensorial e o trabalho realizado com os sentidos: gostos, cheiros, sons, texturas, cores e formas são utilizadas de uma maneira integradacom o objetivo de tornar os estímulos mais naturais para as crianças.

O terapeuta ocupacional também auxilia na coordenação psicomotora da criança autista: o domínio da criança sobre o próprio corpo, seu emocional e seus aspectos cognitivos.

Além disso, é capaz de intervir em comportamentos e hábitos: estereotipia e comportamentos agressivos podem ser trabalhados, além do desenvolvimento de noções de autocuidado.

COMPARTILHAR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − doze =

Rolar para cima
Open chat