O que são os stims, movimentos repetitivos no autismo?

Voce sabe o que são os stims? Basicamente, são movimentos repetitivos realizados como forma de autorregulação.

Eles ajudam o indivíduo autista a se acalmar, controlando o estresse, a ansiedade e também filtrando estímulos sensoriais excessivos.

Conheça alguns tipos deles e estratégias que devem ser adotadas caso a criança manifeste algum stim autolesivo.

O que são os stims?

O termo em português está mais ou menos associado à ideia da estereotipia. Stims são movimentos repetitivos realizados como forma do indivíduo garantir a sua autorregulação.

A execução desses movimentos podem ajudar a pessoa a se acalmar, concentrar-se em uma determinada tarefa ou filtrar estímulos sensoriais excessivos.

Como eles se manifestam?

O mais conhecido dos stims é o balançar do tronco. Um outro muito popular é o ato de chacoalhar as mãos, que as crianças comumente realizam quando estão felizes.

Stims podem ser visuais, auditivos, gustativos. Pode-se querer colocar um alimento na boca, ficar observando luzes por um certo tempo, emitir sons ou ouvir uma mesma música repetidamente.

Os stims prejudicam a criança?

Algumas crianças podem ter stims autolesivos, como o ato de morder o próprio corpo.

Nesse caso, não se deve tentar forçar a criança a parar de manifestá-los, mas procurar alternativas para que eles não a machuquem. Um protetor bucal ou um mordedor podem ajudar nesse caso.

Por que deixar a criança manifestar os stims?

Eles ajudam a criança a lidar com situações de estresse e de ansiedade, evitando crises futuras e garantindo bem-estar à criança.

Não são só autistas que fazem isso. Pense: quantas vezes nós balançamos as pernas ou movimentamos os dedos antes de eventos importantes?

COMPARTILHAR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × 3 =

Rolar para cima
Open chat